Páginas

domingo, 24 de junho de 2012

Macuru-pintado

Notharchus tectus


O Macuru-pintado é conhecido também como Capitão-do-mato-pequeno, Macuru e Rapazinho-dos-velhos. Para nidificar cavam uma galeria em solos acidentados, barrancos ou em cupinzeiros arborícolas. Põe geralmente 2 a 3 ovos brancos e brilhantes na câmara incubatória, que é nua. Habita o interior e as bordas de florestas altas e florestas de galeria, áreas abertas, clareiras, capoeiras e pastos arborizados, plantações e manguezais. Pousa geralmente em galhos secos nas copas de árvores altas, mas também em fios elétricos. Alisa as penas do píleo com o encontro das asas. Encontrado solitário, aos pares ou em grupos de até 6 indivíduos. Voz: Fina e tremulante “pit.. rri…”, “bibibibi”.
É encontrado em toda a Amazônia brasileira e também da Costa Rica às Guianas, Colômbia, Equador e Peru.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Pica-pau-branco

Melanerpes candidus


O pica-pau-branco é uma ave piciforme da família picidae. Também é conhecido como birro ou cri-cri, sendo estes nomes referentes ao seu canto.Alimentam-se de insetos e suas larvas, sementes, frutos e mel. Caçam insetos, especialmente sob a casca. Atacam ninhos de marimbondos e vespas. Nessas ocasiões, é notável como esses insetos voam próximos ao pica-pau, sem atacá-los com seus ferrões. Procuram, avidamente, as larvas nas casas de marimbondo, destruindo-as por completo. Abre ninhos de abelhas indígenas como a irapuá (Trigona spinipes), para deles retirar larvas e adultos, prestando importante serviço aos citricultores pois a irapuá causa prejuízo à produção de cítricos, uma vez que corta com suas mandíbulas os botões florais, impedindo a formação de frutos. Ataca também cupinzeiros arborícolas e vem ao solo para capturar formigas. Além de insetos, alimentam-se de frutos, inclusive plantas cultivadas em pomares, como mamão, laranja, bananas, etc.Vive em áreas campestres, pastos, eucaliptais, capoeiras ralas, buritizais, plantações e áreas rurais. Vive também em cidades, parques, jardins, pomares, bordas de brejos arborizados e no Pantanal de Mato Grosso. Encontrado em grupos de 6 a 10 indivíduos, podendo chegar a 20, às vezes associado a outros tipos de aves campestres gregárias como o Pica-pau-do-campo, o anu-branco, o Anu-preto e o Sabiá-do-campo. O grupo todo dorme junto, no oco de uma árvore, às vezes com várias entradas.
Presente em campos da foz do Rio Amazonas e na região de Óbidos, estendendo-se para as regiões campestres de todo o Brasil. Encontrado também no Suriname, Bolívia, Argentina, Paraguai e Uruguai.

Gavião-preto

Urubitinga urubitinga

O gavião-preto é um accipitriforme da família Accipitridae. É conhecido também como cauã (Minas Gerais), gavião-caipira, gavião-caripira (no Pará), gavião-fumaça, tauató-preto e urubutinga.Alimenta-se de rãs, lagartos, cobras, ratos, insetos e peixes,etc. Come também filhotes de aves caídos do ninho, carniça e frutas, como o cajá-mirim(Spondias mombin). É uma espécie incomum. Habita pântanos, alagados e bordas de matas, freqüentemente próximo à água. Vive solitário, aos pares ou, ocasionalmente, em pequenos grupos.
Ocorre em todo o Brasil e também do México à Argentina.